História

INTRODUÇÃO

Em meados do ano de 1984, um grupo liderado pelos bancários Elias Ribeiro e Rogério Guilherme Pereira, discutiu a criação de um sindicato dos bancários em Governador Valadares.

Elias, funcionário do Banco do Brasil, militante do movimento estudantil, e Rogério, militante do Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR-8), foram os idealizadores e defenderam e lutaram pela criação do sindicato.

PRIMEIRAS REUNIÕES

As reuniões eram secretas, e em diferentes locais, pois não poderíamos correr o risco de sermos delatados aos gerentes de bancos, o que acarretaria perseguição aos bancários. Tínhamos receio que entre nós estivesse infiltrado algum “espião” e dedurassem os companheiros.

Nas primeiras reuniões participaram os bancários: Antônio Alves Paulo (Banco Econômico), Elias Ribeiro (Banco do Brasil), Rogério Guilherme Pereira (Banco de Crédito Real de Minas Gerais – CREDIREAL), José Oton Prata de Castro (Banco do Brasil), Wanderlei Ribeiro de Souza (Banco do Estado de Minas Gerais – BEMGE) dentre outros.

CRIAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO

Partimos assim para a criação do sindicato elegendo o Elias como presidente da comissão provisória, sendo o mesmo o principal articulador para que os bancários participassem da fundação do sindicato.

Foi feito o contato com os bancários que gostariam de participar da formação da chapa que iria ser elaborada para a criação da entidade. Antes da Constituição de 1988, pela Lei da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) de 1943, para fundar um sindicato era necessário primeiro formar uma associação profissional e só depois é que poderia se tornar ou não um sindicato e obter sua Carta Sindical, autorizando seu funcionamento.

A Assembléia da fundação da associação foi realizada no dia 1º de dezembro de 1984, com a presença de bancários de vários bancos. Após várias discussões foi fundada a sonhada Associação Profissional dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Governador Valadares.

Naquele momento, foi eleita a diretoria que iria dirigir a Associação e foi composta pelos companheiros: Silvano Gomes da Silva (BRADESCO), presidente; Rogério Guilherme Pereira (CREDIREAL), secretário; Antônio Alves Paulo (ECONÔMICO), tesoureiro. SUPLENTES: José Aroldo Alves Silva (Banco do Brasil), Roberto Marçal de Oliveira (CREDIREAL), e Wallace Teixeira Assis (BAMERINDUS). CONSELHO FISCAL EFETIVO: Elias Ribeiro (BB), Willian Oliveira Fialho (BRADESCO).

Assim foi fundada a Associação dos Bancários de Gov. Valadares no dia 1º de dezembro de 1984, que mais tarde viria a se transformar em Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Governador Valadares sendo uma data histórica para o movimento sindical de Gov. Valadares.

DEMISSÃO DO SR ANTONIO ALVES

Em janeiro de 1985 passamos a articular a transformação da Associação em sindicato, quando tivemos a demissão do diretor Sr. Antônio Alves Paulo, funcionário do Banco Econômico. Naquela época, o dirigente de associação profissional não tinha direito à estabilidade. Somente o dirigente de sindicato é que tinha este direito. Após o registro de chapa, o sindicato comunicaria à empresa, no prazo de 24 horas, o nome do funcionário integrante da chapa para que o mesmo tivesse direito à estabilidade. Como a lei só garantia estabilidade aos dirigentes de Sindicato e não de Associação e com receio de haver demissões, não foi comunicado ao Banco Econômico que o Sr. Antonio fazia parte da chapa da associação, até porque o Banco Econômico era a empresa bancária que mais perseguia dirigentes sindicais em todo o pais. Por este motivo, a não comunicação, ocorreu a demissão do sindicalista Sr. Antonio. Na tentativa de reverter a situação o mesmo ingressou com uma ação na justiça trabalhista pleiteando a sua reintegração. O Banco suspendeu o contrato de trabalho ficando assim subjudice. Assim o Sr. Antonio pode concorrer às eleições até final decisão da justiça. O processo tramitou na justiça trabalhista por nove anos e o Sr. Antônio perdeu a ação no ano de 1994. Durante este período o sindicato por decisão de uma assembléia realizada para este fim passou a ajuda-lo financeiramente até decisão final da justiça. No mesmo ano, após decisão final do TST (Tribunal Superior do Trabalho) o Sr. Antonio foi contratado pelo sindicato para prestar serviços como assessor administrativo da entidade.

TRANSFORMAÇÃO EM SINDICATO

No dia 02 de fevereiro de 1985 foi publicado no jornal “Diário do Rio Doce” o edital convocando os bancários para discussão e aprovação da transformação da Associação em sindicato. Nesta assembléia aprovou-se o estatuto da entidade e em seguida requerido junto ao Ministério do Trabalho o reconhecimento do sindicato. E como última etapa do processo foi realizada a eleição e empossada a diretoria provisória que iria administrar o recém-criado sindicato.

A Assembléia foi realizada no dia 23 de fevereiro, com a presença do Sr. Rodrigo da Silva, representando a direção da Federação dos Bancários de MG, GO e Brasília com sede em Belo Horizonte.

DIRETORIA PROVISÓRIA

A diretoria provisória foi composta da seguinte forma:

  • PRESIDENTE: Silvano Gomes da Silva (BRADESCO);
  • SECRETÁRIO: Elias Ribeiro (BB);
  • TESOUREIRO: Antônio Alves Paulo (ECONÔMICO);
  • DIRETOR DE DIVULGAÇÃO E CULTURA: José Aroldo Alves (BB);
  • DIRETOR DE SERVIÇOS SOCIAIS: Eraldo Poubel da Silva (NACIONAL);
  • DIRETOR DE ADMINISTRAÇÃO E PATRIMONIO: Vanderlei Ribeiro (BEMGE);
  • DIRETOR DE ASSUNTO TRABALHISTA: Rogério Guilherme Pereira (CREDIREAL);
  • SUPLENTES DE DIRETORIA: Cícero Odílio da Cruz (BRADESCO), Paulo Leal Fernandes (BB), Edgard Pinho da Silveira (BRADESCO), Evanildo Moreira de Oliveira (BB) Wallace Teixeira Assis (BAMERINDUS),
  • Clewerton Freire Cabral (BB) e Willian Oliveira Fialho (BRADESCO).

  • CONSELHO FISCAL EFETIVO: José Oton Prata de Castro (BB), Newton Viana Leite (BB), Valdivino Antônio Oliveira (NACIONAL).
  • SUPLENTES: Luiz Carlos Lemos (BB), Marco Antônio Ribeiro (BB), Roberto Marçal de Oliveira (CREDIREAL).
  • DELEGADOS REPRESENTANTES JUNTO À FEDERAÇÃO: Rogério Guilherme Pereira, Willian Oliveira Fialho. SUPLENTES: Elias Ribeiro, Silvano Gomes da Silva.
  • DO RECONHECIMENTO

Os documentos foram enviados ao Ministério do Trabalho em Brasília solicitando ao ministro do trabalho o reconhecimento do sindicato. No dia 28 de março de 1985 o então ministro do trabalho Dr. Almir Pazzianoto Pinto assinou a nossa Carta Sindical. Vale ressaltar que a nossa carta foi a primeira a ser assinada pelo Ministério do Trabalho da Nova República no governo Tancredo/Sarney, implantada em janeiro de 1985.

ELEIÇÃO PARA A PRIMEIRA DIRETORIA

Eleita a direção provisória e com a Carta Sindical assinada, o sindicato no dia 10 de abril de 1985 convoca os bancários para participarem da primeira eleição direta que seria realizada nos dias 17 e 18 de julho do mesmo ano.

Foi eleita a chapa encabeçada por Silvano (chapa única), tendo sido incluídos três novos companheiros que substituíram os fundadores Clewerton Freire Cabral e Edgard Pinho da Silveira. Foram convidados a fazerem parte da chapa os novos companheiros Élcio José Coelho Braga (BRADESCO), Cleber Silva Sathler e Maria Luiza Soares (CREDIREAL), primeira mulher a fazer parte da diretoria.

A primeira diretoria eleita por voto direto foi empossada no dia 10 de agosto de 1985 pelo Dr. Paulo Lott, delegado do trabalho em MG.

Hoje o sindicato é dirigido por novas lideranças, que aprenderam com os companheiros do passado a não se deixar perder, continuando defendendo os bancários de Gov. Valadares e região.

SINTRAF-GV:

Facebook