Até 2º de agosto bancários devem ter proposta

Sob o argumento de que este ano iniciamos a campanha salarial mais cedo e acreditando que renovaremos a Convenção Coletiva de Trabalhos antes do vencimento da Convenção revisada, a FENABAN entende desnecessário a garantia de prorrogação neste momento.

Durante reunião realizada nesta tarde de quinta-feira (12/07), em São Paulo, a FENABAN destacou que o setor bancário está disposto a firmar um pacto de fechamento da Convenção ainda na vigência da CCT revisada, entregando uma carta de intenções.

Calendário de negociações fechado

A próxima rodada será realizada em 20 de julho, sobre o tema saúde e condições de trabalho. Os bancários estão sofrendo com a sobrecarga de trabalho. Muitos estão aposentados por invalidez sendo obrigados a voltar para os locais de trabalho sem condições físicas e psicológicas para isso. Há muitos municípios do país que não estão recebendo numerário. E são os trabalhadores, na linha de frente, que sofrem com a pressão e a insatisfação dos clientes

No dia 24, a pauta será emprego.

As cláusulas econômicas serão debatidas em 2º de agosto, quando a Fenaban ficou de apresentar uma proposta global para ser apresentada aos bancários em assembleia.

 

É importante que toda a categoria continue acompanhando as negociações e siga com a forte mobilização.

Bancos podem atender às reivindicações
Os bancos, com lucros sempre crescentes, podem atender às reivindicações da categoria. O setor bancário tem lucros cada vez mais altos mesmo na crise financeira pela qual passa o país.

Em 2017, os cinco maiores bancos [Itaú, Bradesco, Santander, BB e Caixa] lucraram, juntos, R$ 77,4 bilhões, um crescimento de 33,5% em relação ao resultado que tiveram em 2016. E só nos primeiros três meses deste ano, os mesmos cinco já atingiram R$ 20,3 bilhões em lucro, aumento de 18,7% em relação ao mesmo período de 2017.

(Fonte: Com Contec)

SINTRAF-GV:

Facebook